5 conclusões sobre ser um expat na Índia

Os indianos tem uma vida MUITO diferente dos ocidentais, a maioria esmagadora dos jovens mora com a família, mulheres tem que estar em casa até meia noite, os relacionamentos funcionam de outra forma por causa dos casamentos arranjados (vou explicar isso em outro post), e como moro em um dry state, bebida é proibida e ai de um indiano de chegar em casa bêbado. Em outras palavras, eles levam a vida de um pré-adolescente brasileiro, a diferença entre os estilos de vida é gritante.

Então é inevitável a identificação e aproximação entre os estrangeiros, estamos todos no mesmo barco. Um ajuda o outro, formamos um grande grupo de amigos, além de um grupo de viagem, se conhece gente de todo o mundo, com diferentes costumes e pontos de vista. E ainda, ganha estadias ao redor do mundo e um motivo a mais para viajar pelo mundo.

Na verdade, um dos maiores méritos do serviço da Aiesec é juntar os estrangeiros. Em uma cultura totalmente diferente da nossa, faz toda a diferença poder conversar com alguém que está passando pelas mesmas coisas que você. É tipo uma válvula de escape. Pelo que percebi, isso é algo que sempre acontece nos intercâmbios da Aiesec.

Logo observei 5 coisas em comum entre essas pessoas. Segue a lista:

1) Muitos já moraram fora de seu país de origem antes de vir para a Índia

DSC_0677-2.jpg
Andersson (Colombia) e Mattia (Itália) em uma viagem à Pushkar/Rajastão
Lente 50mm Exposição: 1/500s Diafragma: f/2.2 ISO 400

Não que seja um pré-requisito para morar na Índia mas imagine alguém na Índia sem falar inglês fluente e sem ter tido a experiência de se virar no exterior. Sério, a Índia é um dos maiores choques culturais que se pode ter.

2) Poucos estão 100% satisfeitos com seu trabalho

DSC_0096.jpg
Rim (Marrocos) em uma partida de Uno (da série jogos universais)

Como disse aqui, as condições de trabalho e o clima organizacional das empresas na Índia não costumam ser dos melhores mas só a experiência de morar na Índia é muito válida. Então acaba que a experiência é mais pessoal, é o dia a dia, os choques culturais, as viagens. E no lado profissional, se desenvolve apenas algumas competências.

3) Todos querem viajar pra c@r@|#0

DSC_0392-2.jpg
Christopher (Alemanha) fotografando o teto de uma tumba muçulmana em Delhi, no caminho para o Kheer Ganga
Lente 18-55mm Exposição: 1/800s Diafragma: f/4.5 ISO: 400

A Índia é um país muito diverso e rico culturalmente. Quem vem pra cá guardou dinheiro durante um bom tempo para viajar. Então, companhia para viajar, não falta.

4) A relação com a Índia oscila

dsc_0158-2
Aslihan (Turquia)

Tem dias que você ama, tem dias que você odeia. Essa regra se aplica a todos. Mas com o passar dos meses você se adapta à Índia e aprende a lidar com as dificuldades.

5) Todos já tiveram food poison

dsc_0581-3
Oumar (Senegal), Kaito (Japão) e Diego (Brasil)
Lente 50mm Exposição: 1/60s Diafragma: f/1.8 ISO: 6400 Luz: de Natal + notebook

É, como disse no item 3 desse post, arriscaria dizer que cerca de 90% dos estrangeiros que vem para a Índia tem problemas com intoxicação alimentar, chamada de food poison por aqui ou em outras palavras é a famosa caganeira! A comida indiana usa temperos diferentes e pesados, então o organismo demora para se acostumar.

Os brasileiros

(Quem já morou no exterior vai se identificar com  isso aqui)

Já reparou que todo mundo que vai morar no exterior, seja pra fazer high school, estudar através do ciência sem fronteiras, work and travel, curso de inglês no Canadá, na Irlanda… Que seja! Anda com bastante brasileiros?!

Aí você vê o fulano que mora no exterior postando foto no Facebook, tá marcado uns 3 nomes de brasileiro e você pensa:

“P0rr@, fulano foi pra PQP só pra andar com brasileiro?!?!”

Pois é, isso também já me passou pela cabeça. Tudo bem que como disse aqui, meu objetivo ao me mudar pra Índia não é desenvolver meu inglês. Mas a questão é que brasileiro se identifica MUITO um com o outro, desde a forma de encarar as coisas até a forma de se relacionar. A identificação é muito grande, e consequentemente os brasileiros se aproximam. 

Claro, recomendo para quem está indo morar no exterior para aprender inglês, o famoso conselho “fuja dos brasileiros!” Mas não vai ser fácil, os brasileiros estão em todo lugar, aceite. Quem diria que em Ahmedabad na Índia (wtf?!) conheceria 9 brasileiros?! Entre o pessoal da Aiesec, fomos a nacionalidade com maior representatividade em 2016. Quando fui intercambista no high school dos EUA, não foi diferente.

Fazer amigos do mundo inteiro é muito enriquecedor e se aprender muito com os pontos de vista e as personalidades. Mas se tratando de uma cultura tão diferente quanto a Índia, faz bem ter alguém do seu lado com o mesmo raciocínio. Entre 12 pessoas que passaram pelo apartamento que moro, 4 foram brasileiros.

IMG_6137.JPG
Nordestinos, cariocas, paulistas e gaúchos. Troca boa! Esse foi o grupo de brasileiros em Ahmedabad em 2016, com exceção do cara de vermelho. Fiz amizades para levar para sempre comigo, já estamos até combinando os encontros anuais.

O Cosmopolita

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Blog no WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: