Kheer Ganga: acampando nos Himalaias

dsc_0176
Lente 55-200mm Exposição: 1/500s Diafragma: f/6.3 ISO: 400

A decisão

Eu já estava na Índia há 8 meses e como um bom montanhista, já estava mordido pra fazer uma trilha, especialmente estando tão perto dos Himalaias. Foi então que sentei com meu companheiro de trabalho, Chris, da Alemanha, para bater o martelo em onde seria nosso destino. Considerando que a melhor época para fazer trilha nas montanhas no norte da Índia é de agosto à outubro, concordamos em pedir uma folga na primeira semana de outubro.

Desconsiderando o estado da Caxemira (que tem várias travessias famosas) devido aos conflitos entre Paquistão e Índia, a região de Parvati Valley no estado de Himachal Pradesh (na tradução: território Himalaia) é muito famosa entre os indianos, principalmente as cidades de Kasol e Manali de onde partem algumas trilhas.

Através de indicações, resolvemos fazer uma trilha famosa até a vila de Kheer Ganga à 2.960 m acima da altura do mar. O que foi ideal já que se chega lá em apenas um dia e não tínhamos tempo para encarar nenhuma travessia.

Transporte

Feito, lá fomos eu e o Chris. Avião até Delhi, ônibus de 10h saindo Delhi para Bhuntar varando a noite. De manhã, taxi de 1h de Bunthar para Kasol e outro de Kasol até a boca da trilha do Kheer Ganga, passando pela vila de Manikaran.

Curiosidade: Kasol é tipo Trindade/RJ ou São Tomé das Letras/MG no Brasil, é aquela cidadezinha próximo à natureza famosa pela banalização do uso da cannabis (nesse caso, haxixe), a diferença é que lá praticamente só tinha estrangeiro.

kheer2.jpg

A trilha

Ok. Chegamos, era 14h, considerando que a trilha demorava em cerca de 4h e estava escurecendo em torno de 18h, não podíamos perder tempo. Alongamos e fomos. A trilha basicamente é dividida em 2 partes, 2h em um terreno mais seco com muito sobe e desce e bastante exposição ao sol, sempre com o rio Parvati à direita, sendo que em cerca de 40min se chega em uma vilinha muito charmosa chamada Nakthan.

Depois se cruza o Parvati River em uma ponte com vista para uma cachoeira muito forte (cuja força da natureza é um espetáculo a parte), se entra em uma floresta de coníferas (pinheiros) onde devido às sombras e às árvores, o clima é bem mais úmido ajuda muito já que daí pra frente muda a pegada da trilha: são 2h só de subida até a vila de Kheer Ganga. Confesso que tive certa dificuldade já que levei uma mochila pesada (com 2 lentes pra máquina, tripé e tudo mais) e não estava em boa condição física.

Detalhe: Mesmo depois da vila de Nakthan, a trilha é cheio de quiosques onde é possível comprar água, comida ou simplesmente sentar pra dar uma descansada.

Feito! Exaustos mas inteiros, cerca de 18h chegamos à vila de Kheer Ganga!

dsc_0159
Placa de boas vindas da vila do Kheer Ganga! Esse foto é meramente ilustrativa! Rs! Tirei no dia seguinte, quando cheguei lá estava acabado!

Esse camping teve 3 peculiaridades em relação aos que eu já fiz no Brasil:

1) Estrutura

DSC_0136.jpg
Desse ponto de vista, parece uma favela mas juro que é um lugar muito gostoso!!! Exposição: 1/2000s Diafragma: f/5.6 ISO: 200

Todas as trilhas de montanhismo que havia feito no Brasil, você chega no cume e lá não tem nada, só você e o seu grupo. Nesse caso, chegamos numa vila. Tinha toda uma estrutura de lugar pra ficar e comer, o que poupou peso na mochila de barraca e comida.

2) A vista

Todas as trilhas de montanhismo que havia feito no Brasil, você chega no cume e a vista está abaixo de você. Nesse caso, a vila leva o nome da montanha que está na frente e no alto! E o Kheer Ganga é GI-GAN-TE. Sabe quando você senta na areia da praia e fica horas observando as ondas? Então, com a grandiosidade do Kheer Ganga também tem esse efeito! Até que todos os restaurantes e guest-houses tem deck virado para a montanha e o pessoal fica o dia inteiro hipnotizado olhando pra montanha.

3) Águas termais

GOPR1973-2.jpg
(foto de GoPro)

Último, mais inusitado e encantador. Lá em cima, à 2.960 m de altitude, tem uma piscina de águas termais. Com vista pro Kheer Ganga ainda! Acredite, é demais!

Lugar sagrado

Reza a lenda que Shiva, um dos deuses hindu, meditou ali por 3.000 anos e os locais consideram que as águas termais tem um poder de cura. Então, logo acima da piscina termal tem um pequeno templo de devoção à Shiva com um ancião da vila que mantém a ordem ali, não deixa o pessoal ficar gritando nem mergulhando na piscina.

De acordo com a mitologia Hindu, Shiva fazia uso de cannabis. Isso mesmo, Shiva era maconheiro! Brincadeiras a parte, com todo respeito à religião hindu, isso explica a banalização do haxixe nessa região da Índia.

Continuando com a viagem…

Pausa pra comemorar e recuperar o fôlego. Já fomos atrás de alugar uma barraca (que já ficam montadas) e fomos direto pra piscina termal até escurecer. Depois trocamos de roupa e fomos comer em um restaurante bem rústico e bem legal, tava frio, eles acenderam as lareiras, todas as mesas eram baixas com colchão pra sentar, senti um clima aconchegante.

DSC_0213-2.jpg

Tirei essa foto no segundo dia. No primeiro, esse restaurante estava bem cheio. Fiquei impressionado com o cardápio, comida do mundo inteiro: Israel, Itália, Espanha, Índia (claro) e por aí vai…

Curiosidade 2: Por algum motivo, essa região de Parvati Valley atrai muitos israelenses, eles andam em grandes grupos de 5-10 pessoas. Quando um indiano vê um estrangeiro nessa região já tenta adivinhar perguntando se você é israelense.

Ficamos duas noites lá, pra ter um dia inteiro livre e aproveitar o lugar já que foi maior função chegar até lá. Nesse dia livre, exploramos todo o lugar e passamos bastante tempo na piscina termal. Saiu essas fotos:

Também rolou essas fotos noturnas:

Gastos:

Ônibus ida e volta de Delhi para Bunthar: 2.619 rúpias = 130 reais

*Táxi ida e volta de Bunthar para Kasol: 755 rúpias = 38 reais

*Táxi ida e volta Kasol para a boca da trilha do Kheer Ganga: 1000 rúpias = 50 reais

Diária na barraca no Kheer Ganga: 125 rúpias = 6 reais!!!

Custo médio de uma refeição na vila do Kheer Ganga: 300 rúpias = 15 reais

*Esses dois trechos dá para fazer de ônibus circular, fica baratíssimo mas requer tempo para esperar ônibus. Coisa que eu e o Chris não tínhamos.

Himalaia, nos vemos no Nepal!

O Cosmopolita

Anúncios

9 comentários sobre “Kheer Ganga: acampando nos Himalaias

  1. Parabens Isaquera!!! Que pico irado, e a materia ficou irada tbm, mandou muito na foto noturno ali fazendo O Cosmopolita com as luzes. Abraçooo meu brother, continua que nos estamos acompanhando.

    Curtido por 1 pessoa

  2. Isaque, que delícia. Tudo o que você está vivendo aí na INdia é fantástico. Adoraria fazer isso, mas….o meu tempo já passou. Quem sabe na próxima encarnação.(risos). Abcs Márcia e Fernando

    Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s