10 animais selvagens para ver na Ásia

Logo depois do sucesso do post que listei 12 animais que se encontra pela Índia, resolvi fazer uma lista de animais selvagens para ver na Ásia. Com a diferença de que os animais dessa lista, são vistos em passeios turísticos.

Então vamos lá!

1) Leão-asiático no Parque de Gir (Índia)

Primeiramente, os leões-asiáticos! Também conhecidos como “leão-indiano” ou “leão-persa”, você pode vê-los no Parque Nacional de Gir, localizado no sul de Gujarat. Pouco procurados por turistas, o Parque de Gir é uma reserva de leões-asiáticos com uma área protegida de 258km²!

Parque Nacional de Gir em Gujarat

Assim como os leões-asiáticos foram extintos na Turquia, Oriente Médio e Irã, restaram entre 10 a 20 leões na Índia, no começo do séc XX. Em contrapartida, um sultão da região criou a reserva de Gir, último habitat natural para essa espécie no mundo.

A população dos leões no parque vem aumentando e de acordo com a última pesquisa realizada em 2015, já tinha chegado a 523 leões naquele ano.

leao01

O parque oferece safaris de jipe em dois horários pela manhã e um a tarde, ao passo que fica aberto para visitações de novembro à maio. Contudo, a melhor época para a visita é entre dezembro e março, devido às altas temperaturas no verão indiano. Enfim, você pode conferir maiores informações no site oficial do parque.

Safaris serão mencionados mais vezes nesse artigo, então vale ressaltar que sempre existe a possibilidade de não se ver os animais selvagens nos safaris. Afinal, os animais estão em seu habitat natural, ficam soltos e durante o passeio, se tenta achá-los.

2) Tigre-de-bengala

Também conhecido como tigre-indiano, o tigre-de-bengala, pode chegar à 3m de comprimento e pesar 200kg. Além disso, é o tigre que inspirou os personagens de Shree Khan do Mogli e Richard Parker de “As Aventuras de Pi”.

Esse tigre, obviamente, habita a região de Bengala na Índia. Região localizada no nordeste que foi dividida em Bengala Ocidental (cuja capital é Calcutá) e Bangladesh, país independente da Índia de maioria muçulmana.

Porém, o melhor lugar para ver esses animais selvagens na Ásia é no Parque Nacional de Bandhavgarh, no estado de Madhya Pradesh (ao sul de Varanasi), que chegou até a aparecer no Tales by Light do Netflix.

Bandhavgarh National Park ao sul de Varanasi

Juntamente com uma área de 105m² e tendo uma população média de 8 tigres por quilômetro quadrado, o parque oferece passeios de safari em jipe. Contudo, o agendamento da visita deve ser feito com antecedência no site oficial do parque.

Tigres atravessando a pista no Parque de Bandhavgarh

De acordo com alguns relatos na internet, parece que o parque tem ficado bem cheio, o que torna a experiência negativa. Afinal, imagine mais de 5 jipes lotados caçando tigres pelo parque?!

Por fim, caso você estiver considerando ir, esse foi o relato mais completo que achei.

3) Rinoceronte-de-um-chifre em Chitwan (Nepal)

Animais par ver na Ásia: rinoceronte-de-um-chifre

Também conhecido como “rinoceronte-indiano”, esse herbívoro pode medir cerca de 3,70m de comprimento e 1,45m à 1,70m de altura, assim como pode pesar entre 1.600kg à 3.000kg, sendo um dos maiores animais terrestres do mundo.

Além disso, ele pode correr até 55km/h, um verdadeiro tanque de guerra. E apesar de seu característico chifre medir entre 20 a 53cm, o rinoceronte não o usa como arma.

Assim como o leão-asiático, a história desse animal é bem parecida. Se estima que em 1950, 800 rinocerontes-de-um-chifre habitavam a região de Chitwan no Nepal mas com a caça, o crescente desmatamento e outras questões, a população da espécie caiu para 95 rinocerontes nos anos 60.

Então, criaram o Parque Nacional de Chitwan em 1970 para preservar esses animais selvagens. De acordo com a última pesquisa (2015), a população dos rinocerontes já tinha atingido a marca de 605 dos 645 rinocerontes de todo Nepal naquele ano.

Chitwan, Nepal

Eu visitei o parque e há 2 tipos de safari: o de jipe e o a pé (isso mesmo!) e eu fiz os dois! Rs! Assim como os safaris dos primeiros animais, ninguém garante que você vai encontrar o rinoceronte, sendo que as probabilidades são maiores no safari a pé.

Melhor foto que consegui tirar do rinoceronte no safari a pé

Claro que o safari a pé tem seus riscos, então é importante que você sinta bastante confiança na agência que for te levar. Até porque os rinocerontes atacam e têm a audição bem desenvolvida.

Ainda assim, estou devendo um post só sobre Chitwan.

4) Elefante-asiático na Tailândia

Finalmente, chegou a hora dos queridinhos de todo mundo! 

Claro que é possível ter contato com os elefantes na Índia, Nepal e Sri Lanka mas a Tailândia é muito famosa pelos santuários desse animal!

Em suma, santuários de animais são organizações com instalações seguras que protegem animais selvagens de ameaças. Chiang Mai no norte da Tailândia é conhecido por ter uma concentração de santuários, de forma que o mais famoso e indicado é o Elephant Jungle Sanctuary (que também tem unidade em Phuket, no litoral).

Nesse santuário, existem o passeios de half day, assim como o de dia inteiro. Quando eu fui, fiz o half day onde primeiramente, um tuk tuk busca cada uma das pessoas do grupo bem cedo, em suas respectivas hospedagens. Antes de mais nada, há vários “camps” do santuário e todos estão longe do centro de Chiang Mai, o que se leva cerca de 1h30 de carro para chegar até eles.

Bem como o transporte sai entre 6h30 e 7h, é feita uma pausa na estrada para tomar café. Logo depois de chegar no camp, os cuidadores passam todas as instruções e te vestem com uma roupinha para 3 as interações com os bichinhos:

  1. Alimentar os elefantes com banana
  2. Dar banho de lama neles
  3. Lavar eles no rio

Posteriormente, é servido um almoço e depois, o transporte te leva de volta para sua hospedagem. Imagino que a experiência deve mudar um pouco de camp pra camp mas se você der sorte, vai ter filhotes no dia da sua visita.

Esse sou eu interagindo com um elefante 🙂

Por fim, a visita de half day custa U$54,00 e a do dia inteiro que inclui mais algumas atividades, custa U$76,26. Beeeem salgado!

Ainda vou escrever um post só sobre essa experiência!

5) Tubarão-baleia em Oslob (Filipinas)

Passeio para nadar com os tubarões-baleia em Oslob

Já imaginou nadar com um tubarão-baleia?!?!

Antes de tudo, essa é uma experiência totalmente possível!

Oslob é uma vila de pescadores na ilha de Cebu nas Filipinas que se desenvolveu de um anos pra cá ao passo que foi oferecendo esse e outros passeios turísticos.

Oslob em Cebu, Filipinas

Assim como o tubarão-baleia se alimenta quase que exclusivamente de plâncton, tem média de 10m de comprimento, sendo o maior peixe do mundo. Nesse passeio em Oslob, é praticamente certo de ver esses animais selvagens, já que jogam camarões ao mar para atraí-los.

O passeio funciona assim:

As saídas do pier da praia começam bem cedo pela manhã (6h) e logo depois de pago o passeio, são passadas algumas orientações. As orientações são desde, ficar a uma certa distância dos bichos, não tocá-los, não usar câmera com flash, assim como, não usar protetor solar.

Posteriormente, levam o pessoal em barcos a remo à menos de 200m da praia onde jogam os camarões ao mar, onde os bichões aparecem e as pessoas ficam livre para fazer snorkel. Enfim, o passeio dura 30min e custa U$20,52, sendo que também é possível assistir do barco pela metade do preço.

Por fim, esse mergulho com os tubarões-baleia é cheio de pós e contras sua sustentabilidade é questionada. Portanto, se estiver considerando fazer esse passeio, é valido ler esse artigo aqui da National Geographic para formar sua opinião sobre o assunto.

6) Raia-manta em Labuan Bajo (Indonésia)

Já que estamos falando de animais selvagens marinhos, outro peixe que é possível encontrar debaixo do mar na Ásia é a raia-manta! Também conhecida como “jamanta” (rs!), a raia-manta pode chegar a 7m de comprimento, assim como pode pesar mais de uma tonelada, sendo a maior raia do mundo!

Bem longe da badalada ilha de Bali, é possível mergulhar com as raias-manta em Labuan Bajo, na Ilha de Flores, Indonésia.

Labuan Bajo, Flores, Indonésia

Em síntese, um passeio com 3 mergulhos de cilindro onde você pode encontrar as raias-manta, custa U$121,70! Bem salgado né?! Pois é, de todos os lugares que passei na Ásia que tinham mergulho com cilindro, esse foi o mais caro que vi (e não mergulhei, rs!).

Por outro lado, a maioria das pessoas que vai para Labuan Bajo, vai atrás de outro animal:

7) Dragão-de-komodo na Indonésia

AHÁ! Enfim, o dragão-de-komodo!

Muito se fala sobre esse bicho mas pouco se fala como encontrá-los! A verdade é que é bem acessível! Podendo atingir até 3m de comprimento e pesar 166kg, o dragão-de-komodo é o maior lagarto do mundo. Esse animal vive apenas nas ilhas do Parque Nacional de Komodo, próximo à Labuan Bajo.

Existem duas formas de ver um dragão-de-komodo. Uma é fazer um day tour saindo de barco de Labuan Bajo até as ilhas do parque, o que leva cerca de 3h. Chegando nas ilhas, tem toda uma programação de trilhas, snorkel, praia com areia rosa e claro, ver os dragões.

A segunda forma é fazer uma boat trip saindo de Lombok (ilha próxima às ilhas Gili) de 3 noites e 4 dias até Labuan Bajo. E só no último dia, passa no Parque de Komodo.

Eu optei pela primeira opção porque fiquei inseguro de enjoar 4 dias no barco e fui para Labuan Bajo. Porém, dei o azar das condições do mar estarem péssimas. O mar estava muito mexido, e um barco de pescadores havia naufragado. Um pescador ainda estava desaparecido e os bombeiros não estavam autorizando a saída de barcos do cais.

Na hora de ver os dragões, os guardas do Parque acompanham o grupo e são munidos apenas de pedaços de pau (rs!). Mas como essa parte do passeio é bem na hora do almoço, os dragões ficam estirados para refrescar.

Essa é a foto clássica com esses animais selvagens. Como existe um risco dos dragões darem um tiro curto para a frente, a orientação é que as pessoas posem para as fotos atrás deles. E é preciso que alguém tire uma foto dando zoom de frente.

8) Urso-negro-asiático em Luang Prabang (Laos)

Animal de porte médio com 70cm à 1m de altura, podendo pesar até 200kg, pelagem preta e com uma característica marca branca em forma de “V” no peito. O urso-negro-asiático habita o sudeste asiático, China, Coréia, Japão e região dos Himalaias.

Fui surpreendido com esse bicho quando fui visitar a Kuang Si Falls, complexo de cachoeiras em Luang Prabang no Laos e dentro da propriedade do complexo, há um santuário de uma ONG chamada Free de Bears.

Uma australiana chamada Mary Hutton criou a ONG em 1995. Hoje, o Free the Bears atua em 4 países, tendo 3 santuários e ajuda mais de 950 ursos. O valor da entrada para o Kuang Si Falls e ver os ursos é U$2,19. Você também pode acessar o complexo através de um day tour que passa em outros pontos.

Um ursíneo brincando na água não quer guerra com ninguém

9) Orangotango em Brunei

orangutango

Podendo medir entre 1,10m e 1,40m, pesar de 35kg a 100kg e viver entre 35 a 40 anos, esse é um dos maiores primatas do mundo. E não é a toa que seu nome seja orang hutan que no idioma da Malásia significa “homem da floresta”.

Esse macaco com característico pelo marrom-avermelhado habita as ilhas de Borneo (Malásia, Indonésia e Brunei) e Sumatra (Indonésia).

Há duas formas de ver esses animais selvagens. Uma é nos santuários da parte da Malásia em Borneo e outra é no norte de Sumatra, na Indonésia. Em Borneo, há 2 santuários bem recomendados: Semenggoh Wildlife Centre e o Sepilok Orangutan Rehabilitation Centre.

mapa_orang
À esquerda na ilha de Sumatra, o Gunung Leuser National Park, e à direita na ilha de Borneo, o Semenggoh Centre e o Sepilok Centre

O Semenggoh Centre fica próximo à Kuching, no noroeste da ilha e o Sepilok Centre fica próximo à Sandakan, no nordeste da ilha. Os orangotangos ficam livres no santuário e podem ser vistos nos dois horários que são alimentados diariamente.

A melhor época para visita é entre abril e novembro, que não é a estação das frutas. Então eles aparecem mais para se alimentarem com o suplemento de frutas fornecido pelo santuário. No  Semenggoh Centre, a entrada custa U$2,40 e no Sepilok Centre, a entrada custa U$7,30 e vale para a alimentação da manhã e da tarde. Nesses passeios também é possível ver o macaco-narigudo.

Passeio no Sepilok Centre

A segunda forma de ver esses bichos é no Gunung Leuser National Park, no norte da ilha de Sumatra na Indonésia. As duas principais vilas para acessar o parque são Bukit Lawang e Ketambe. Nesse caso, a experiência é bem mais imersiva. Além, das trilhas de 4h a 6h, há trilhas com mais de 5 dias acampando na selva.

10) Calau-rinoceronte em Kuala Lumpur (Malásia)

Um dos pássaros símbolos da Malásia, o calau-rinoceronte é um dos maiores “calaus” do mundo. Os calaus são aves com esse chifre no bico (o que explica o nome de rinoceronte).

O calau-rinoceronte pode ser visto no Bird Park de Kuala Lumpur, capital da Malásia onde também tem periquitos, pavões, pelicanos, araras, emas e flamingos.

A entrada no Bird Park custa U$15,16, o que é relativamente salgado para um zoológico mas a infraestrutura supera expectativas e com todo respeito… É bem mais legal que o Parque das Aves de Foz do Iguaçu (que já é bem bacana!)!


E ai, o que achou desses animais selvagens?

Já foi em algum desses passeios? Dessa lista, ficou animado para ver quais animais?

Me conte nos comentários!

Também fiquem a vontade para comentarem informações complementares e se você se interesse pela assunto, não deixe de ler o post sobre 12 animais que se encontra pela Índia.

Para acompanhar minhas publicações, siga-me no insta:

@o.cosmopolita

Chalo,

O Cosmopolita

 

Um comentário em “10 animais selvagens para ver na Ásia

Adicione o seu

Deixe uma resposta

Powered by WordPress.com. Tema: Baskerville 2 por Anders Noren

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: